Arquivo da tag: poesia

das profundezas

apenas uma profundeza … a provocação do post anterior teve seu destino traçado e acabado. agora. está preparado? está preparada? por um fio.

Publicado em amor, literatura | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

café requentado

arcadismo. neoclassicismo. século XVIII. minas gerais. o arcadismo, no brasil, é quase tão original quanto camisas de futebol vendidas no camelódromo. algumas são até bonitas. não é o momento literário que mais me cause pruridos nos neurônios. pseudônimos pastoris, bajulação à … Continuar lendo

Publicado em educação, literatura | Marcado com , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

ouro preto na ladeira

não sei o que é mais legal, aqui : a ideia de que história e arte se confundem ou a noção de que podemos sempre discutir a questão da relação brancos e negros, num cenário como esse. ouro preto, desde … Continuar lendo

Publicado em amor, educação | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

adeus, renata

quem ensinou ao ser humano o que era o amor? onde fica o manual? fiquei pensando no robison. ou robson, nunca vou saber. não é pena, longe disso, mas uma sensação de “ninguém te avisou como era??!” deve ter sido … Continuar lendo

Publicado em amor, literatura | Marcado com , , , , , | 2 Comentários

canção para poucos

 dia 9 de abril de 1821, nasceu o habilidoso das sensações humanas, charles pierre baudelaire. vez por outra, falo com meus alunos sobre romantismo e, quando dá,salpico-lhes um baudelaire… quer seja num exercício, numa fala ou via internet… como agora … Continuar lendo

Publicado em amor, educação, literatura | Marcado com , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

poetinha

sem nada pra fazer, quinta-feira à tardinha, resolvi eternizar vinícius. ele anda pela minha estante, feito uma história da emília, no sítio. sempre coloco o livro de volta, no lugar, mas ele insiste em sair. hoje, filmei isso, é quase … Continuar lendo

Publicado em educação, literatura | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

castro alves

melhor poeta baiano do mundo, castro alves escreveu pouco. nasceu em 1847, morreu em 71. um livro publicado em vida: “espumas flutuantes”. conhecido como “condoreiro”, castro alves se destacou como poeta abolicionista (“os escravos” e “navio negreiro”). contudo, o melhor … Continuar lendo

Publicado em amor, educação, literatura | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

retalhos

falo com meus alunos sobre “sentimento do mundo”, carlos drummond de andrade. quem me conhece um tiquinho mais sabe a saudade que dá do fernando pessoa, na lista do vestibular, quando leio qualquer verso do mineiro preguiçoso. mas ele tem … Continuar lendo

Publicado em educação, literatura | Marcado com , , | Deixe um comentário

bráulio de abreu

conheci bráulio de abreu, em junho deste ano. o poeta baiano é bisavô de uma de minhas alunas, luiza, que, de repente, me apareceu com três livros de uma só vez e os colocou em minha frente. pensei comigo: “leio … Continuar lendo

Publicado em literatura | Marcado com , | 1 Comentário